E aí vamos criar um método ágil novo?

Bragile! Que tal esse nome? ☺

Criar uma nova metodologia é uma brincadeira deste post, mas para um método ser ágil basta ter duas coisas:

– ciclo curtos
– melhoria contínua

Ou seja, podemos partir de qualquer metodologia. Pode ser até a pior metodologia possível para software (uma vez falei isso numa turma e alguém disse: “então pega a metodologia lá da minha empresa” ☺).

Contanto que a cada ciclo curto, por exemplo, toda sexta-feira, todos parem e se perguntem:
– o que podemos melhorar?
– o que foi bom? o que não deu certo?
– qual é a nova prática que vamos experimentar?

E aí rodar uma nova iteração e repetir o processo indefinidamente. Os criadores dos métodos ágeis mais antigos, como o XP e o Scrum, estão fazendo isso há quase duas décadas. Por centenas de vezes eles se perguntaram: como podemos melhorar? É claro que eles chegaram em um conjunto de práticas muito bom.

Se eu fosse resumir os valores ágeis a apenas dois, seriam esses:
– ciclo curtos
– melhoria contínua

Por isso a importância de mantermos as reuniões de Retrospectiva e respeitarmos o time-box (eventualmente esse ciclo curto pode não ter time-box, vide Kanban).

Nesse contexto, ainda falta mais um ingrediente que é a motivação do time. O time motivado será a centelha para que o projeto dê certo. Observem que isso é uma aplicação do método científico no nosso processo de fazer software.

Por último, é importante ressaltar que quanto menor o tempo do ciclo, melhor. Por quê? Outro post para responder isso…