Se um time quer ser ágil, a retrospectiva é o momento mais importante. Costumamos falar que, se você ainda não se sente confortável para, por exemplo, transformar seu time em um time Scrum, tudo bem. Comece pequeno. Comece criando um momento onde o time periodicamente para e reflete sobre o que aconteceu no último ciclo. Tenha um momento dedicado a falar sobre isso e buscar novos acordos e melhoria contínua.

Por este motivo, estamos sempre buscando fazer retrospectivas melhores. E temos visto um grande e recorrente desafio, que é fazer retrospectivas quando temos vários times trabalhando e interagindo para um único objetivo.

Como fazer uma retrospectiva escalada?

É claro que este é um exemplo e não pretende ser exaustivo. Mas recentemente nos deparamos com o seguinte cenário:
Temos 10 times Scrum, que trabalharam intensamente durante 6 meses para fazer uma grande entrega estratégica. Ao final do processo, com a pressão do prazo, muitos times começaram a abrir mão de fazer retrospectivas, e começaram a apresentar problemas de comunicação, queda de qualidade, perda na velocidade e retrabalho. Com muito sacrifício, muita repriorização e descarte, a entrega foi realizada.

Mas dado que alguns times pararam de fazer retrospectivas, como conseguimos gerar melhoria contínua? Como lidamos com toda a dor que foi gerada durante os sacrifícios desta entrega para que não passemos mais pelos mesmos problemas?

Esta dinâmica foi inspirada na retrospectiva “Removendo as pedras no caminho” e pode ajudar.

Ela funciona para:

  • Times escalados ou únicos
  • Times que precisam trocar experiências e conhecimento

Preparando a dinâmica

Garanta que cada time tenha post-its, canetas e um quadro branco. Se tivermos mais de um time trabalhando em conjunto, procure viabilizar que todos estejam em uma mesma sala, com mesas separadas, como num workshop. Se não houver quadro branco para todos, uma cartolina ou folha de flip chart colada na parede resolve.

Desenhe um carro no início de uma estrada. No meio da estrada, desenhe um declive. Mais para a frente, desenhe pedras no caminho. Desenhe a linha de chegada e, depois dela, uma garagem.

  • O carro representa o time.
  • O declive representa coisas que aconteceram que ajudaram o time, aumentaram a velocidade.
  • As pedras representam obstáculos e problemas que o time enfrentou.
  • A linha de chegada representa o valor que o time entregou.
  • A garagem representa o que o time precisa melhorar para o próximo ciclo.
Imagem de exemplo da retrospectiva do Carro de Corrida. Nela vemos um carro de corrida que representa o time correndo em um pista que possui pedras no caminho, um declive, uma linha de chegada e uma garagem.

Exemplo de desenho do carro de corrida

Como é este carro?

Peça para que cada membro do time pense nas características que o carro tem e escreva um item por post-it.

Dê 3 minutos.

Peça para que cada pessoa cole as características perto do carro e facilite a discussão para chegar a um consenso no time.

Qual foi nosso declive?

Peça para que cada membro do time pense nas coisas que fizeram o time melhorar, aumentar a velocidade, entregar mais valor e escreva um item por post-it.

Dê 3 minutos.

Peça para que cada pessoa cole os post-its perto do declive e que o time converse para chegar a um consenso.

Quais foram nossas pedras?

Peça para que cada membro do time pense nos obstáculos e dificuldades que o time encontrou e escreva um item por post-it.

Dê 3 minutos.

Peça para que cada pessoa cole os post-its perto das pedras e facilite a discussão para que o time chegue a um consenso.

O que fazer na garagem?

Peça para que cada membro do time pense em quais são as melhorias e consertos que precisamos fazer para que a próxima corrida seja melhor.

Dê 3 minutos.

Peça para que cada pessoa cole os post-its perto da garagem e facilite a discussão para que o time chegue a um consenso. Este será o plano de ação do time.

Compartilhando o aprendizado

E agora, como podemos ajudar os times a compartilhar o aprendizado que tiveram? Imagina se a gente coloca cada um deles para dar uma palestra sobre o assunto? Rapidamente todos estariam nos celulares e o conhecimento se perderia. É por isso que a gente usa a Feira de Ciências:

Ao finalizar os planos de ação, peça que um membro do time permaneça junto ao seu desenho enquanto os demais visitam outros times e entendem quais foram os declives, as pedras e o que será feito na garagem de cada time.

Por último, peça que todos voltem aos seus times originais e dê 10 minutos para que discutam o que viram nos outros times que pode ser válido para o seu.

Curtiu?
Para aprofundar o conhecimento sobre facilitação, veja nosso curso Técnicas Ágeis de Facilitação.