O papo de hoje é sobre resiliência. E ele é muito importante para o nosso futuro profissional, embora seja um aspecto frequentemente negligenciado pelas pessoas, provavelmente como consequência da correria do dia a dia.

“ resiliência é a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, adaptar-se a mudanças, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, estresse, trauma, etc”

Nosso ambiente de trabalho é tão dinâmico e cheio de imprevistos, que acabamos bombardeados o tempo todo por situações de estresse. Como consequência, às vezes temos picos de ansiedade e isso se reflete no nosso humor, atitudes, relações e muitas vezes até em casa, impactando nas relações pessoais.

Há algumas semanas, voltava de uma reunião no México e sentei ao lado de uma executiva que lia rapidamente, e em diagonal, seus emails atrasados, enquanto conversávamos sobre Agile. O assunto que mais chamou a atenção foi stress management. A empresa estava testando várias iniciativas para reduzir o stress corporativo: yoga, PTO, comunicação não violenta etc. A causa raiz é a cultura, pensei entre um papo e outro. Nosso ambiente de trabalho é repleto de situações limite. Saber lidar com elas é fundamental para que se obtenha sucesso profissional.

Fazer o que você faz não deve ser fácil. Reuniões intermináveis, inúmeros problemas para resolver e quando se percebe estamos afundados num mar de estresse. Então como um time que se prepara para a final do campeonato, também temos que estar atentos ao nosso grau de resiliência. É ela que vai nos ajudar a superar obstáculos sem abrir mão de valores, princípios e principalmente da nossa sanidade. Temos que estar atentos como indivíduos, time e organização.

Médico aprende logo desde cedo a ser resiliente. Lidar com cenários ruins, pessoas doentes e às vezes doenças sem cura. Sem resiliência o médico não termina o plantão. No dia a dia, nós também lidamos com pessoas e organizações doentes culturalmente falando, e precisamos evitar que essas situações nos façam mal, o que sem prestar atenção, acaba acontecendo de forma absolutamente natural e silenciosa. Quem nunca chegou em casa bufando depois de um dia difícil?

Mas tenhamos muito cuidado: resiliência não é indiferença, ausência de emoção ou desculpa para agressividade. Não somos robôs!

Resiliência siginifica não levar problemas para casa, não perder o bom humor em situações de estresse, não se deixar derrubar pq o cliente fez isso ou aquilo. Não desanimar mesmo que as coisas não estejam fáceis. Resiliência é saber que você fez o melhor mesmo que não tenha dado certo e aprender com isso, mas sempre saindo de cabeça erguida. É entender que nem todo mundo quer ser ajudado e tá tudo bem. É se envolver com os problemas sem deixar que os problemas minem nossa energia.

E assim, vamos aos poucos incorporando essa ideia no nosso dia a dia, praticando nossa melhoria contínua e desenhando nossa cultura para que seja cada vez mais justa. Temos muito pela frente para melhorar. Muito a aprender como organização. Resiliência faz parte do DNA da gente. Mesmo que na correria do dia a dia ela fique um pouco esquecida no cantinho, se esse assunto passar a fazer parte do seu dia a dia, já terá valido a pena escrever essa mensagem.