O Scrum é um framework que quando bem utilizado é capaz de aumentar a performance do time de 4 até 10 vezes. Todavia temos adaptações e adaptações. Algumas ficam “meia boca” e disfunções viram regra.

Nesta série de artigos escreverei sobre as cinco disfunções mais comuns da agilidade que encontramos nos papéis de Scrum Master, Product Owner, Time de Desenvolvimento e Gestores. Espero que ajudem a você avaliar se seu Time Scrum caiu em algumas delas e como podem sair dessas armadilhas.

Neste primeiro artigo escrevo sobre as disfunções do Scrum Master, mas primeiro…

O que é o Scrum Master?

Esse papel foi muito bem descrito no artigo do meu colega Lucas Gomes: Scrum Master quem é e o que faz. Sendo bem resumido aqui, o Scrum Master é o líder servidor que facilita o Time e demais stakeholders a entender e executar o processo Scrum. É um facilitador de trabalho e apaixonado pelo time que o ajuda a alcançar os resultados de negócio.

Infelizmente algumas empresas ignoram a importância desse papel e o tornam disfuncional. As mais comuns são…

Perder um grande Técnico e ganhar um péssimo Scrum Master

Eu costumo dizer: para se tornar um bom Scrum Master, você deve dar um passo firme e consciente em direção a pessoas.

Se você era uma grande celebridade na sua área técnica (TI, engenharia, contabilidade, logística, etc.), não significa que você tem ou desenvolveu todas as habilidades necessárias para se tornar um bom Scrum Master. Habilidades como: visão sistêmica, negociação, leitura de cenário, facilitação, saber ganhar e usar capital político, programação neurolinguística, comunicação não violenta, saber ensinar, conhecer os atalhos da organização, liderança servidora, entre outras.

Pegar uma pessoa com grande capacidade técnica e colocá-la para desempenhar essa função é um tiro no pé. Com uma só tacada perdemos um bom técnico e ganhamos um péssimo Scrum Master.

O Herói

Esse é um problema comum quando temos a liderança técnica começando a desempenhar o papel de Scrum Master. Ao invés de facilitar a discussão para que o time chegue às melhores decisões, o Scrum Master passa a ser o herói. É ele quem decide e todos acolhem as decisões dele. Como um grande mestre, todos esperam a daily meeting para que ele ilumine o time com a sua grande sabedoria.

Inicialmente, pode ser muito bom para o herói ser reconhecido como tal. Todavia, no longo prazo, é devastador. Ligações nas férias e finais de semana, culpa por decisões ruins, pescoço a ser enforcado nas decisões técnicas inapropriadas, time dependente, interrupções constantes, convocação para todas as reuniões possíveis e imagináveis, entre muitos outros.

Se você é o Scrum Master e está sendo acionado para resolver todo e qualquer tipo problema, mesmo os mais banais. Não saia correndo loucamente tentando resolver o problema sem o time. Pense de forma estratégica: Como eu posso fazer para que nunca mais eu seja acionado por isso novamente? Pense em algumas ações que reduzam a dependência do time de você e coloque em prática o seu plano. É muito importante que você saia da parte técnica para desenvolver as habilidades relacionadas necessárias para se tornar um bom Scrum Master.

Ausentão

O time está saindo no tapa e o Scrum Master se esconde. O Product Owner está enchendo o time de pedidos durante a Sprint e o Scrum Master não está nem aí. O gerente da outra diretoria está indo direto ao time e nada do Scrum Master. Retrospectiva para quê? Daily Meeting só quando dá problema. Cadê esse cara?

Não pode ser ausente. Você é o maior responsável por facilitar a evolução do Time Scrum. Se você não está lá para fazer isso, quem fará?

Três problemas que costumam causar essa ausência são: falta de importância que a organização dá para esse papel, receber o papel de Scrum Master enquanto mantém atribuições anteriores e atender múltiplos times simultaneamente. Vamos vê-las:

Sem importância

Não se dá a devida importância ao papel. A pessoa “ganha” o título e agora que ela se vire sozinha para se tornar um Scrum Master. Se ela não for proativa, nada acontecerá.

Pense muito bem na pessoa que estará nessa função. Evite fazer De-Para. Exemplos: Antes eram gerentes de projetos, agora são Scrum Master. São papéis diferentes que exigem habilidades diferentes. Temos que ver caso a caso, se a pessoa possui características que poderiam torná-la uma boa Scrum Master. As principais delas: vontade de aprender e desejo de participar da melhoria de outras pessoas.

Acúmulo de papéis

Você é Time de Desenvolvimento e Scrum Master, Product Owner e Scrum Master, Gestor e Scrum Master. Acredite. Já tentei, já vi várias empresas tentando e o resultado é sempre o mesmo. A pessoa acaba dando mais ênfase a um papel e abandona o outro.

Imagem do Chapeleiro Louco tomando chá. Personagem interpretado por Johnny Depp no filme Alice no País das Maravilhas dde 2010.

Chapeleiro louco de Alice no país das maravilhas. Vestir múltiplos chapéus vai te deixar maluco.

Você é muito bom. Toma aqui mais um time

Tem pessoas que são tão boas como Scrum Master que as empresas começam a achar que elas podem desempenhar esse papel em 2, 3, 4, 5 times ao mesmo tempo. Como um equilibrista de pratos, quanto mais times, mais tempo ela passará tentando manter o funcionamento de cada um deles e menos tempo passará com cada um deles. É só uma questão de tempo até o colapso.

Gif contendo um equilibrista de pratos com 7 pratos sobre varinhas. Uma hora um dos pratos cai e o equilibrista ainda consegue pegá-lo.

O Scrum Master pode não ser tão rápido quanto esse equilibrista e o prato (Time), pode se espatifar no chão.

O Poderoso Chefão

Indo para a próxima disfunção. Falaremos sobre a liderança que o Scrum Master tem no time. A razão de existência do Scrum Master é ser um Lider servidor. Se ele é o chefe do time e começa a definir sozinho como todos farão o trabalho, quem tira férias, que hora o time chega e sai, quem fará qual tarefa, ele deixa de ser o facilitador para se tornar o chefe do time e um chefe ruim.

Imagem clássica do filme O Poderoso Chefão em que Vito Corleone contempla seu "reinado" de sucesso com olhar profundo de poder.

O Poderos Chefão. Filme de Francis Ford Coppola (1972)

É comum acontecer essa disfunção quando o papel de Scrum Master está sendo executado em acúmulo com a gestão. É proibido ser Scrum Master e gestor do mesmo tempo? Não, mas há desvantagens. Caso seja o seu caso, pergunte-se: o que acontece quando você não vai para o trabalho? O ambiente fica mais leve, as pessoas trabalham mais felizes, elas colaboram entre si?

Samuel me fez essa pergunta quando eu ocupava um cargo de gestão antes de entrar para a Knowledge21: quem você está preparando para assumir o seu papel? Pense nisso.

Cada um no seu quadrado

Temos que resolver problemas que extrapolam os limites do time e são problemas organizacionais. Exemplos: falta de autorização, processos desnecessariamente burocráticos, times incompletos, rotatividade de pessoal, etc. Se esse é o problema que afeta o seu time, então você deve tentar removê-lo. Ficar apegado à bengala do “infelizmente isso está muito acima de nós” é viver a dor até o fim da eternidade.

Meme que se populariozou na internet. Na imagem vemos dois quadros. No primeiro o personagem que é um cachorro de chapéu está tranquilamente tomando seu café, embora o local onde ele se encontra está em chamas. No segundo o personagem diz: Está tudo bem! Preferindo ignorar a realidade.

Tudo está bem. Diz o personagem, mesmo quando tudo ao redor está em chamas.

Há momentos em que você terá que ter inteligência emocional e saber quais os movimentos são necessários no tabuleiro político da empresa. Usar suas habilidades de leitura de cenário, negociação e comunicação para influenciar outros times e níveis hierárquicos para poder mudar a situação atual e acabar com a causa raiz do problema.

Utilize todo o arsenal de métricas, visibilidade e transparência para trazer do inconsciente para o consciente e provocar mudanças na organização. Se o gestor imediato não conseguir, procure o gestor do gestor imediato. Se esse não resolver, procure o gestor do gestor do gestor imediato e por aí vai…

Varrer problemas para baixo do tapete é uma péssima ideia e a pior coisa para um time é chegar nos limites de prazo ou custo e só aí avisar para a gestão sobre os problemas. Faça um exercício de empatia com seus gestores. Imagina receber a notícia de que o produto está incompleto faltando 2 dias para o lançamento.

Enquanto Scrum Master, você tem a obrigação de auxiliar o Time Scrum a manter os gestores atualizados sobre problemas organizacionais que estão impedindo o desenvolvimento e as entregas.

Vou influenciar mudanças organizacionais

aqui sempre foi assim, nunca vai mudar”.
(Satanás, 513 a.C.)

Como Scrum Master temos que ser inconformados com as dores que o Time Scrum sofre. Não basta apenas avisar aos gestores. Você terá que fazer o possível para remover esses obstáculos.

Segundo o Guia do Scrum, é função do Scrum Master:

  • ajudar funcionários e partes interessadas a compreender e tornar aplicável o Scrum e o desenvolvimento de produto empírico;
  • causar mudanças (organizacionais) que aumentam a produtividade do Time Scrum;
  • trabalhar com outros Scrum Masters para aumentar a eficácia da aplicação do Scrum na organização.

A jornada do Scrum Master

A jornada do Scrum Master pode ter algumas etapas: Executor, Mentoring e Coaching.

Começamos como executores, fazendo as coisas acontecerem. É muito comum times imaturos precisarem de um papel mais executor do que alguém de facilitação. Com o passar do tempo, temos que fazer menos execução e mais mentoring. Ainda não seremos facilitadores, mas pouco a pouco vamos desapegando das atividades técnicas e nos ligando a pessoas. Finalmente chegamos ao nível de coaching. Nesse estágio, facilitamos as pessoas a chegar às melhores decisões sem participarmos ativamente da discussão.

Na prática, os estágios não são bem definidos. Há momentos em que um Scrum Master, que já consegue ser coach, terá que participar de alguma etapa de execução ou terá que fazer algum mentoring. Exceções acontecem, mas devem ser sempre exceções.

Enquanto fazia minha jornada, li e gostei muito do livro Coaching Agile Teams: A Companion for ScrumMasters, Agile Coaches, and Project Managers in Transition. Ajudou muito durante a minha transição entre desenvolvedor de software – Scrum Master – Gestor e Coach. Também gostei muito das sessões de Coaching the Coach que fazemos na K21 e recomendo que vocês utilizem ferramentas similares. É basicamente um bate papo entre os coaches contando quais as experiências eles viveram e pensando juntos em como resolver desafios.

Convites

Aproveito para convidar você a participar do nosso treinamento de Certified Scrum Master (CSM) para conhecer o método Scrum e ter uma certificação internacional como Scrum Master. Convido também para o nosso treinamento de Técnicas Ágeis de Facilitação: um curso para conhecer técnicas e ferramentas de facilitação.

Leia também outros posts no nosso blog relacionado a esse papel. Aguarde, em breve publicaremos as disfunções no papel do Product Owner.