Cada vez se fala mais em RH Ágil. As organizações estão despertando para um RH que atua em toda implementação do Ágil, sendo uma área estratégica para o crescimento da empresa. Ou seja, deixando para trás aquela visão de RH enrijecido com muita burocracia, que só cria mais gargalos nos processos.

Karen Monterlei, Agile Expert na K21, lembra que para falar de Agilidade no RH, passamos por uma mudança de modelo mental dos profissionais, que naturalmente vai impactar em toda a organização.

Confira no vídeo abaixo o que Karen Monterlei explica sobre Agilidade no RH:

O papel da liderança

“Essa mudança, tendo o RH como exemplo e como a grande alavanca desse processo de transformação, passa também pelas lideranças.”

O papel das lideranças, aliás, é fundamental. Karen explica que hoje o que observamos nas empresas é que, com a Agilidade e o processo de transformação, muitas vezes a média gerência se sente desmotivada e até perdida.

“O que ela vai fazer agora, já que ela tem times autônomos, pessoas que são protagonistas das suas histórias, que buscam seu próprio desenvolvimento? Como a liderança vai trabalhar? Ela vai trabalhar no desenvolvimento das competências, das capacidades dessas pessoas.”

Esse processo de transformação é uma mudança muito importante no dia a dia, de valorização e reconhecimento do indivíduo. Mas como vai acontecer essa mudança no sentido do propósito desses profissionais?

“Estamos falando de motivação intrínseca, muito mais do que realmente dar grandes ganhos ou oferecer grandes bônus. Estamos falando da razão de ser de uma pessoa. O que aquilo que ela faz no seu dia a dia agrega para ela como indivíduo?”

Cargos e salários

A ideia de ter um “plano de cargos e salários” é muito comum nas organizações. Há, inclusive, um gasto grande de energia para concluir esse projeto.

Falando de transformação cultural/transformação digital, como o RH vai se posicionar em relação a isso?

Karen ressalta que são muitos desafios, alguns com respostas e outros não. Para encontrar essas respostas, então, uma boa saída é trabalhar com a cultura de experimentação.

“Como eu falo de cargos e salários, Agilidade, papéis e leis trabalhistas, por exemplo? O que eu posso aproveitar da Reforma Trabalhista para o meu novo RH? O RH tem que estar aberto às experimentações. Tem que estar aberto a experimentar sem ter medo de errar.”

Para ela, dentro de uma área de RH e consequentemente expandindo isso dentro de uma organização, é preciso existir a possibilidade de errar rápido e acertar rápido.

O RH precisa então se adaptar a uma nova realidade, sendo um agenda dessa transformação. “Outro passo importante no processo de transformação ágil, onde o RH deve ser o agente dessa transformação, é o processo da cultura, do entendimento dessa cultura e da mais adequada comunicação. Como se comunicar num ambiente com tantas mudanças, tantos questionamentos, tantas dúvidas, e aberto a experimentação?”

Benefícios do RH Ágil

Para Karen, os principais benefícios da implantação do RH Ágil são:

– empatia das pessoas umas com as outras;
– sensibilidade dessas pessoas em relação às entregas de valor que o RH precisa fazer (muito mais do que cumprir um prazo, aquele movimento ou aquela entrega do RH realmente está entregando valor para o nosso negócio?);
– motivação (as pessoas no seu dia a dia se sentem contribuindo, se sentem com um propósito, uma razão de ser);
– facilita a convivência das pessoas (elas ficam muito mais felizes!).

Vem aí… RH Ágil Summit 2019

Para repensar e reinventar o RH por meio da Agilidade, participe do RH Ágil Summit, organizado pela Knowledge21! A edição deste ano acontece no dia 3 de dezembro em São Paulo. Cadastre-se para saber todas as novidades e garantir seu ingresso em primeira mão!

Veja como foi o RH Ágil Summit 2018:

 

Quer saber mais sobre RH Ágil? Veja também esses conteúdos:
O RH pode ser ágil? Não, deve!
Líder Ágil x “Líder” Chefe