Muitas empresas enfrentam dificuldades na hora de definir as métricas que serão analisadas para saber se estão alcançando seus objetivos com seus produtos.

Definir boas métricas não é uma tarefa fácil. Não existe uma fórmula mágica ou um regra que defina quais são as métricas mais importantes para o seu produto.

Então como podemos tornar esta tarefa menos complicada?

1. Por que seu produto existe?

O ponto de partida sempre será o porquê da existência do seu produto. Antes de qualquer coisa, você deve se perguntar: seu produto existe para resolver qual problema? De quem? Por quê?

Defina o que você quer saber antes de sair medindo. Contexto é tudo! Ele te ajudará a definir onde você quer chegar com o seu produto (receita, aquisição, utilização etc).

2. Qual a relevância do seu produto?

As pessoas estão realmente usando seu produto?  A quantidade de pessoas que utilizam seu produto é um excelente ponto de partida para validar a relevância dele. Você pode, por exemplo, utilizar a frase abaixo para definir a relevância do seu produto:

“100 usuários realizaram três ou mais pesquisas nos últimos 15 dias”.

3. Evite métricas de vaidade

Elas podem te dar a falsa sensação de sucesso, mas não agregam valor. Por exemplo: o número de downloads de um aplicativo. Embora possa haver uma quantidade razoável de downloads, poucas pessoas podem utilizá-lo de fato. Ao invés disso, escolha métricas mais relevantes, como aquisição ou utilização.

4. Métricas não são tarefas

Número de funcionalidades entregues dentro do prazo, definitivamente, não é uma boa métrica.

Sucesso não é marcar uma caixinha. Sucesso é ter impacto. Se você completa todas as tarefas e nada melhora, isso não é sucesso.” – Christina Wodtke (Coach de OKR)

5. Utilize métricas qualitativas e quantitativas

Indicadores quantitativos, como usuários ativos ou receita, medem a quantidade de algo e não sua qualidade. Indicadores qualitativos ajudam a entender porque algo aconteceu, como por exemplo, nível de satisfação dos usuários.

Combinar os dois permite ter uma visão mais equilibrada do que realmente está acontecendo com seu produto, além de reduzir o risco de perder de vista o fator de sucesso mais importante: os clientes. Afinal, são eles que compram e utilizam o produto.

6. Aplique a regra 80/20

Você não precisa medir tudo o que pode ser medido. 80% das informações importantes para guiar o seu produto certamente estão em 20% das métricas existentes e/ou criadas. Após definir suas métricas, é fundamental que faça o acompanhamento regularmente, coletando e analisando os dados, compreendendo melhor o comportamento dos seus segmentos de clientes, entendendo quais as melhores e piores ações e tomando decisões baseadas em dados.

#FicaDica

Siga esse fluxo: Dados > Análise > Informações > Análise > Ações.

Com as dicas deste post, espero que você consiga definir as métricas mais importantes para o seu produto.

Se curtiu o post e se identificou com as dicas, deixe seu comentário  ;D

Quer saber mais sobre o tema?

Participe do nosso treinamento de Métricas Ágeis

Leia também outros posts relacionados no nosso blog: