Há sete anos eu trabalho com Agilidade, há um como Agile Coach. Recentemente eu tive a oportunidade de assistir à aula de Kanban Coaching Masterclass do criador do Kanban, David J. Anderson, no Brasil. A cada novo assunto ou novo case tive vários momentos de aprendizados e questionamentos. Neste texto, eu irei citar cinco insights, entre vários outros, que tive durante os cinco dias de curso.

“Proto-kanban is our friend. It is a tool to gradually gather maturity.”

O proto-kanban é nosso amigo. É uma ferramenta para que as pessoas gradualmente ganhem maturidade.

O proto-kanban deve ser visto como uma técnica para times que ainda não têm maturidade Ágil para usar o método Kanban de forma integral, em seu dia a dia. Vemos isto, por exemplo, em um sistema onde não há limitação de WiP (Work in Progress) ou sem políticas explícitas. Confira o Kanban Essentials Condensed.
O proto-kanban deve ser fortalecido para que os indivíduos vejam gradualmente o ganho de cada prática do Kanban em seu dia a dia.

“Don’t be the smartest guy in the room.”

Não seja o sabichão.

Como um Agile Coach, você não quer se distanciar das pessoas nem tampouco fazê-las dependerem de você por acharem que você sabe mais do que elas. Sendo assim, resista em dizer a elas o que deve ser feito. A melhor maneira de ajudar um time é guia-los na construção do seu próprio raciocínio para que os indivíduos cheguem às soluções dos seus problemas por conta própria.

“Evolution leaves stuff behind.”

A evolução deixa rastros.

Não tente excluir os registros da evolução do seu fluxo de trabalho. Algumas pontas ficarão soltas, isto é normal. Não se sinta na obrigação de corrigir todas elas, pois os vestígios realmente importantes serão corrigidos. Alguns itens ficarão estranhos no seu CFD (Cumulative Flow Diagram), um gráfico que ajuda a identificar, de forma visual, os gargalos no fluxo de trabalho de um time. Afinal, fases do seu processo vem e vão.
David usa como exemplo o cóccix humano. O cóccix é um vestígio da cauda que já fez parte, no passado, do corpo humano. Cauda que algumas mamíferos possuem até hoje. Esta parte da coluna não tem mais utilidade para nós, porém, ela não foi totalmente removida ao longo da evolução – somente até a parte que trazia dificuldades para os indivíduos.

“If you push the exercise too hard, they will hate the exercise. You will break them. Although, if you never push them out of the comfort zone, they will never get any better.”

Se o exercício for pesado demais, eles irão odiar o exercício. Você vai quebrá-los. Contudo, se você nunca levá-los para fora da zona de conforto, eles nunca irão melhorar.

Durante o treinamento de Kanban Coaching Masterclass, David reafirmou que as equipes têm grau de maturidade diferentes e que a dificuldade do exercício deve sempre estar de acordo com a maturidade atual do time. Alunos (indivíduos e times) mais maduros devem ter exercícios mais complicados e complexos; os limites devem ser mais arrojados. Porém, para times mais imaturos, devemos iniciar com exercícios mais leves e com menor impacto. David ainda complementa: “don’t try to get from 0 to 3 (maturity level) at a night”, isto é, não tente sair do nível zero e alcançar o nível três em uma única noite.

“The maturity of the company is limited by the maturity of the leaders.”

A maturidade de uma empresa é limitada pela maturidade dos seus líderes.

David ressalta a importância dos bons líderes, considerados exemplos para toda instituição que busca a melhoria contínua. Eles vão formar profissionais que também irão buscar a melhoria contínua aplicando o Kaizen e promovendo o constante amadurecimento do time. Líderes imaturos são responsáveis por formar profissionais imaturos e, ao culpá-los, promovem ambientes de desconfiança. Isso impossibilita a melhoria contínua e a cultura da experimentação, conforme abordamos no post Resumo do livro Extreme Ownership.
Os modelos que as organizações vão alcançar estarão sempre limitados à maturidade de seus líderes.

E aí, curtiu?

Estes foram alguns dos insights que eu tive durante o Kanban Coaching Masterclass, um treinamento voltado para quem quer ser um KCP (Kanban Coaching Professional) e deseja aprender a enfrentar as dificuldades na adoção do Kanban. Você também tem esse perfil? Então vale a pena conferir de perto o que o David ensina sobre esse método.

 

A K21 vai trazer o David J. Anderson para realizar o seu “último treinamento de Kanban Coaching Masterclass” na cidade do Rio de Janeiro, entre os dias 04 e 08 de dezembro.