Retrô Poker

Os agiles coaches da K21 estão constantemente trocando conhecimentos. Nestas trocas a Inteligência Coletiva nos leva a criar idéias, ferramentas e experimentos malucos. No Scrum Gathering Rio 2017 decidimos levar a outras pessoas a oportunidade de também criar coletivamente, e fizemos um Workshop de Criação de Retrospectivas. Como adoramos ideias malucas e desafiadoras, levamos para o Workshop a nossa mais nova criação: o Retrô Poker.

Workshop Criação Retrôs

Você pode encontrar os slides do Workshop aqui

O que é?

O Retrô Poker é um jogo de cartas para facilitar a escolha do tipo de atividade a ser realizada em um time, antes mesmo de definir o formato final da atividade em si.

Formato

O Retrô Poker conta , por enquanto, com 8 cartas:

  • Energizer: Vamos criar um clima positivo, com alguma reflexão.
  • Treinamento: Vamos procurar ajuda externa ao time.
  • Retrospectiva: Vamos olhar para o passado e criar um plano de melhoria.
  • Demissão: Não tem mais jeito, vamos demitir alguém.
  • Feedback em equipe: Vamos abrir o jogo.
  • Team building: Vamos melhorar a interação entre as pessoas para sermos um time.
  • Conversa 1 x 1: Vamos promover conversas francas entre 2 pessoas.
  • Futurospectiva: Vamos olhar para o futuro e montar planos.


Para baixar os cards clique aqui

Como surgiu?

Conversando sobre o Workshop, começamos a debater sobre os tipos de retrospectivas mais conhecidas, como Retrospectivas, Futurospectiva e Team Building. Quando de repente, um dos nossos Agile Coaches, o Avelar, falou: “Deve ter algo a mais que esses três.”
Fui para casa remoendo isso e, no outro dia, comecei a desenhar as cartas. Consegui pensar logo em 7 delas, e compartilhei a ideia com Lula e CFC. Evoluímos e chegamos às 8 cartas.

Por quê usar?

A cerimônia de retrospectiva é um momento que o time separa para fazer a melhoria contínua. Constantemente as pessoas acham que este momento serve somente como reflexão de: O que foi bom; o que foi ruim; o que precisa melhorar. Porém nem sempre é disso que o time precisa.
Um passo muito importante para escolher o melhor tipo de atividade é a leitura de cenário. Confira um exemplo a seguir.Cenário Time
Seguindo este exemplo, você acredita que uma retrospectiva “padrão” ajudaria o time a resolver os problemas ou iria emergir esses problemas? Provavelmente não seria a melhor escolha. Para um time que está neste cenário, uma série de atividades são importantes para evolução do time. Assim, um leitura do momento é muito importante para se escolher a melhor atividade.

Como jogar?

  1. Após identificar o cenário, convide outros SM’s, Agile Coaches ou membros do time e apresente o cenário a todos.
  2. Entregue um baralho para cada um e peça pensar que tipo de atividade ela acredita ser a melhor para o time naquele momento.
  3. Depois de decidir qual melhor tipo de atividade, peça para que todos selecionem uma carta.
  4. Quando todos estiverem preparados, vire as cartas simultâneamente e veja quais foram os tipos de atividades escolhidas.
  5. Dedique um tempo para discutir o porquê das escolhas feitas. Caso necessário, jogue novas rodadas até que o grupo conclua qual melhor tipo de atividade.

Jogada Retrô Poker

Cartas Retrô Poker

Qual formato usar?

Após definir o tipo de atividade a ser realizada, você vai precisar definir qual formato usar. Neste momento, vale pegar algum formato pronto, misturar alguns ou até mesmo criar um novo. Deixe sua criatividade fluir! Abaixo alguns links que podem te ajudar:

Treinamento Agile Facilitator
Retrospectiva com Management 3.0: Moving Motivators
Retrospectiva “Sentimentos e Caminhos”
Retrospectiva – Removendo as pedras do caminho
Fun Retrospectives
Dinâmica Meddlers do Management 3.0
Treinamento Management 3.0

Que tal experimentar o Retrô Poker?

Experimente o Retrô Poker e conte pra gente como foi sua experiência.
Clique aqui para baixar os cards

Por | 2017-07-28T09:52:54+00:00 20 de julho, 2017|Facilitação, Scrum|

Sobre o Autor:

Apaixonado por pessoas e comunidades, sou engenheiro de computação e esp. em engenharia de sistemas. Agile Coach na K21, atuei como Scrum Master na DígithoBrasil e como docente no ensino superior na UNIDERP, fomentador de comunidades no MS, experiência em facilitação. Estudante e praticante das melhores práticas Agile.